Buscar

Planeje o descarte a partir da fase de projeto

Atualizado: Jul 6

Você sabia que seus descartes podem ser planejados antes mesmo de iniciar sua obra? E com isso dar um destino mais consciente a eles?



O processo de estudo e concepção dos projetos é um momento onde os profissionais especificam as intervenções que serão realizadas, e os materiais que serão utilizados e aplicados para transformar os espaços.


Todos os anos, estes profissionais são convidados a conhecer novas técnicas construtivas e materiais lançados pela indústria da construção civil.


Então podemos analisar este cenário e nos atrevemos a concluir que na grande maioria a indústria, profissionais e consumidores estão focados na mudança incentivada pelo consumo de novos produtos.


Não vemos problema nenhum em mudar, transformar e consumir. Este processo faz com que nossa economia aconteça. A nossa grande preocupação e o problema de todo este processo é o que é feito com tudo que precisa ser removido para utilização de novos produtos. E com a atenção que é depositada para o resíduo gerado. Pois como o conhecimento instituído de se conhecer o que possui de novo, o descarte inconsciente também está instituído neste processo.


E é por isso que a construção civil ainda é responsável por grande parte da geração de resíduos e pior ainda, por não adaptar seus processos para diminuição efetiva do descarte.


Então hoje venho propor a todos um olhar mais atento ao descarte, onde podemos trazer grandes mudanças. E acreditem, podemos iniciar este processo a partir dos projetos.


Vamos aprender a especificar o resíduo, como pode ser feito isso em projeto?

Antes mesmo de falarmos do projeto em si, devemos observar e entender quais são os momentos/etapas que ocorrem a geração dos resíduos.


Eu classifico em 3 momentos:


1º REMOÇÕES: através da retira de todos os materiais, objetos e itens que não irão ser mais utilizados.


2º DEMOLIÇÃO: através da remoção de fechamentos para ampliações ou novas configurações de espaços.


3º PÓS EXECUÇÕES (construção/infraestrutura/revestimentos/forro): através dos recortes de materiais e produtos para aplicação em áreas determinadas, e aberturas para distribuição de infra estrutura (hidráulica, elétrica, entre outros).


Quando entendemos quais são estes momentos, conseguimos transcreve-los nas plantas especificas.


E existe uma forma correta de transcreve-los nas plantas? Como especificá-los em seus projetos?


O ideal é que em cada planta você tenha uma legenda especifica para a especificação dos resíduos e a forma que eles serão reutilizados, armazenados, descartados ou encaminhados.


1º LUGAR – CLASSIFIQUE: Sugiro que procurem entender a classificação de cada resíduo, pois desta forma poderá especificar a separação a partir de sua classe.


2º LUGAR - QUANTIFIQUE: Calcule o volume de cada tipo de resíduo que poderá ser gerado, para que possa especificar o melhor e mais adequado tipo de coleta (caçamba, cooperativas e empresas especializadas em reuso ou reciclagem)


3º LUGAR – SEPARE E DESTINE: Saber quais tipos de destinação podem ser feitas para cada classe de resíduo, como por exemplo, para reutilização, reciclagem ou descarte. Procure por empresas especializadas em cada processo, pois poderão te ajudar a entender quais resíduos podem ser destinados para cada processo.


A classificação dos resíduos é o mais importante para que a especificação aconteça corretamente. Como as classes se dividem?


Vamos dar uma prevê explicação de como são classificados, mas importante notar que as classificações estão diretamente associadas aos períodos da execução o que nos ajuda tanto na especificação no projeto como na gestão da obra, pois podemos criar logísticas de separações dos resíduos atrelados as empresas especificas para coleta.


Os resíduos são divididos em 4 classes:


Classe A são os resíduos tais como: materiais cerâmicos (tijolos, azulejos, blocos, telhas, placas de revestimentos), argamassa e concreto. Estes podem ser reutilizados com a mesma forma e função ou destinados a serem transformados em agregados.

PERIODO DA CONSTRUÇÃO/FECHAMENTOS.


Classe B são os resíduos recicláveis que estamos mais acostumados com sua separação inclusive no lixo residencial, são os plásticos, papeis, papelões, metais, vidros e madeiras.

PERIODO DE ACABAMENTOS (estes são os resíduos provenientes das embalagens na maioria das vezes).


Classe C são os resíduos são produtos oriundos do gesso, eles não possuem tecnologia economicamente viáveis que permitem sua reciclagem ou recuperação, por isso devem ser separados e destinados em conformidades as normas especificas.

PERIODO DE CONSTRUÇÃO/FECHAMENTOS (forros e divisórias).


Classe D são os resíduos perigosos tais como: tintas, solventes, óleos, entre outros. Se não há como aproveita-los por completo e destinar a quem possa utiliza-lo. Ele deve ser separado corretamente e em suas devidas embalagem fechadas para a destinação correta de acordo com as normas especificas.

PERIODO DE ACABAMENTOS (estes são os resíduos de finalização de reforma, onde realizamos as pinturas).


Relóco

Reveja seus processos e se torne um profissional mais consciente, planejando e especificando a destinação dos residuos gerados em suas obras.
1 visualização0 comentário